Matéria

A Copa do Mundo e o aluguel por temporada

A Lei referente ao aluguel por temporada esclarece alguns questionamentos relevantes como os direitos e deveres do locador e locatário. O indivíduo que aluga o imóvel é chamado de locador e o que procura o imóvel (cliente) de locatário, o contrato só pode durar 90 dias, ou seja, três meses e o proprietário pode pedir todo o valor do aluguel de uma vez. Mesmo podendo exigir uma das garantias de locação, exemplificando, caução, fiança e seguro fiança, apenas uma pode ser cobrada. “É de grande valor que o contrato seja bem feito e revisado por advogados das duas partes para que nenhuma saia em desvantagem e o negócio seja benéfico de forma geral”, acrescentou o consultor.

O corretor Francisco Feitosa, um dos sócios da Imobiliária BelloLar, está com o apartamento dos sonhos para o turista que deseja conforto na sua estadia. Localizado no bairro de Parnamirim, um dos metros quadrados mais caros do Estado, o imóvel conta com dois quartos, suíte, dependência, mobília, camareira e carro com motorista por 45 dias. O custo do conforto é de U$18 mil, e algumas propostas já foram feitas, mas nenhum contrato ainda assinado.

Aluguéis de imóveis para Copa entra em alta em todo o País.

Aparentemente o valor é elevado, mas se alguns detalhes forem considerados, percebemos que o preço chega a ser justo, até mesmo por oferecer uma estrutura que o turista teria que procurar em diversos lugares até condensar todos os serviços a sua disposição e preferência. Apesar de ainda pouco explorado como forma de renda, o exemplo dado por Francisco pode servir como uma forma de renda para proprietários de imóveis em todo Estado. ICON-01