Coluna Vitor Hugo Gonçalves

SAM_0195

E aí, Zé?

Vitor Hugo Gonçalves
Diretor Execultivo da VH Consultores e Diretor da Abble Tecnologia e Desenvolvimento
vitor@vhconsultores.com.br

“Laranja madura, na beira da estrada, tá bichada Zé ou tem marimbondo no pé!”. Talvez os mais novos não conheçam, mas quem já passou dos 40 provavelmente já ouviu ou cantarolou o samba imortalizado por Ataulfo Alves em 1966. Minha amiga e mestra Everilda Araújo adora enfatizar esta frase quando fala sobre Oportunidades de Negócio em seus seminários de empreendedorismo pelo Brasil. E não é para menos. Impressiona o número de pessoas que buscam pelo ganho fácil. Iniciar um negócio que, com pouca dedicação e baixo investimento irão proporcionar ganhos extraordinários. Sem falar que a realização pessoal por desenvolver uma atividade que dê prazer acaba ficando em segundo plano.

Empreendedores bem sucedidos não se dedicam às oportunidades que surgem sem antes fazer uma análise crítica. Avaliam os riscos envolvidos, o empenho, recursos necessários e qual o retorno irá proporcionar.

Ao contrário do Zé da música de Ataulfo – Zé Justino, como era conhecido na família o amigo  Dr. Justino Alves Pereira – existem muito “Zés”  em nosso Brasil que buscam a fortuna de modo muitas vezes tortuoso.

O Zé que atira pra tudo que é lado, sem foco, vai pulando de oportunidade em oportunidade, esperando acertar um dia naquela que vai mudar sua vida.

O Zé oportunista, que se aproveita de situações de desespero ou de pessoas ingênuas para fazer um dinheirinho fácil.

O Zé teimoso, que mesmo percebendo que a coisa não está dando certo, continua batendo com a cabeça na parede.

O Zé obcecado, que deixa de lado a família, os amigos e todo o resto para se dedicar exclusivamente à busca de sua grande oportunidade.

O Zé todo poderoso, que não pede ajuda a ninguém e acredita ser superior a tudo e a todos pela sua visão privilegiada das coisas.

E, finalmente, o Zé ninguém, para quem nada está cem por cento bom o suficiente. Por isso, ele buscará eternamente a oportunidade, sem, no entanto concretizá-la.

Para esses e outros Zés, um alerta: cuidado, pois os anos passam e aquilo que você faz com a sua vida é a marca que você deixa no mundo.

Se identificou com algum Zé? Então lembre que nunca é tarde para mudar de atitude!